Vida de YouTuber... ou "os ossos do orifício"

by 7:04 AM 1 comments
*Dezembro de 2016 - o canal está encerrado há 3 meses e nada se compara à paz que venho tendo desde o seu final!*

Ser YouTuber é bom, mas é uma merda... Não me leve a mal com essa frase, mas ela é muito adequada para descrever o momento pelo qual tenho passado.

Em determinadas situações e em certos ambientes, eu gostaria de passar despercebido. Mas hoje percebo que não dá mais. Sou reconhecido, e volta e meia me vejo em situações desagradáveis. Leio ou escuto coisas como:

- "Seu amargo! Volte para o Brasil que lá é seu lugar!"
- "Cadê a experiência positiva?"
- "Você só pode ser um frustrado que se decepcionou!"
- "Você falou sobre mim!"

Essa experiência tem sido muito rica. Uma grande escola que, a cada dia, me ensina o que é o ser humano e o que são as pessoas do meu país. Ao mesmo tempo em que vivo num país estrangeiro e posso fazer um contraponto com os "donos da casa".

É fascinante. E ao mesmo tempo é assustador. Porque a Internet pode te colocar no centro das atenções, mas ao mesmo tempo te transformar em alvo de pedras. Sem ganho financeiro.

A gente quer ter voz ativa, no nosso destino mandar... mas eis que chega a roda viva e carrega o destino pra lá...

A experiência de novo imigrante no Canadá vale a pena, mas não é fácil e tem diversos desafios e obstáculos a enfrentar. Há um lado cor-de-rosa que fica mais evidente na experiência de certas pessoas e em certos canais ou blogs. Diversas circunstâncias me fizeram escolher o caminho das pedras. Até porque foi o que deu certo. Ligo minha câmera e vou: "opa, pessoal, aqui é Alexei falando, e este é o seu canal Vida Que Segue - Canadá". Nessa hora, sou um personagem. O personagem que o público do canal quer ver. E que às vezes desperta raiva, indignação e ira.

As redes sociais podem transformar sua vida muito depressa sem que ninguém oriente seus passos. Somos muito inocentes. Olhamos para os YouTubers que efetivamente ganham dinheiro, com suas centenas de milhares de visualizações, e queremos chegar lá. Eu olho para o Carlinhos Troll do Realidade Americana ou para o Dimitri Kozma do Canadá Diário com muita admiração e penso: é ali que eu gostaria de estar. Mas não tenho qualquer orientação especializada sobre o que fazer, como agir...

Ainda mais se o tema é imigração... Ele envolve os sonhos das outras pessoas, mas as coloca diante de uma realidade que pode contradizer completamente esses sonhos. Isso acontece com todos. Comigo também. A experiência de resetar a vida me colocou em contato com situações que haviam sido resolvidas de forma incompleta no Brasil, com amebas que adormeceram em vez de morrer. Você, que me lê ou me assiste, não está sozinho. Em muitas situações eu falo de mim mesmo. Também sou um imigrante em busca de um lugar ao sol. Como você, enfrento o medo de não conseguir. De não dar certo. Em pequenas coisas e no grande Projeto Canadá.

Frequentemente, me pergunto: chegou a hora de parar? Vale a pena continuar? E sempre que me abato a resposta das pessoas me faz continuar. Como diria o Carlinhos Troll, tenho 3 mil pessoas seguindo comigo. É muita responsabilidade.

Todos são igualmente importantes. E todos me ensinam muito.

Recebo dezenas de e-mails por dia. Dezenas de mensagens em redes sociais. Tenho umas 200 pessoas que me pediram amizade no Facebook e eu não aceitei, porque não faço a menor ideia de quem sejam.

Fico me perguntando que postura devo manter, sobretudo diante das pessoas que conheço e eventualmente ajudo. E a cada dia mais acredito que devo manter uma distância segura. Devo ser reservado e seletivo. Devo me preservar. Preciso refletir todos os dias sobre o verdadeiro valor da palavra "amizade". E me dar conta a cada instante de que as pessoas que estão ao meu redor podem ser meros companheiros de viagem. E não amigos.

Mesmo que eu siga o precioso conselho de cuidar das plantas, cuidar da minha casa e cuidar da minha mulher - que nem sempre concorda comigo! - o estrago já foi feito. O aprendizado aconteceu, e será levado por toda a vida.

Aprendi com os canadenses um sentido totalmente diferente do que eu conhecia para o verbo "discordar". Que não passa necessariamente por "brigar", mas por "respeitar e seguir em frente".

Hoje acordei e me dei conta de que as coisas já ficaram suficientemente grandes para que, a qualquer momento, eu seja questionado por algo que escrevi ou disse nos vídeos. A pessoa acredita que falo sobre ela, especificamente.

Só que as coisas na minha vida já se tornaram suficientemente grandes para que dezenas de pessoas vistam a carapuça quando eu falo de qualquer coisa. Recentemente, alguém me mandou um e-mail questionando sobre algo que eu disse num vídeo produzido há dois meses. Ainda que uma situação coincidente tivesse acontecido naquela época, eu falava de outra pessoa. Não há como ter certeza, porque eu falo de maneira confusa para que ninguém seja efetivamente exposto. Só que quando eu falo da torcida do Flamengo, um bocado de gente pode vestir o manto rubronegro.

O que a pessoa me questionou já havia sido retratado por mim de forma quase idêntica em agosto passado.


Transformei-me num cronista de muitas histórias que vão se cruzando diante dos meus olhos. Por isso mesmo peço que você faça uma coisa muito simples. Quer entrar em contato, quer uma ajuda, quer uma opinião, quer uma palavra amiga, mas não quer ver sua história mencionada no canal ou nos blogs? Venha e me fale! Não tira pedaço. Um dia desses, inclusive, recebi um inbox onde a pessoa relatava sua história e num dado momento disse exatamente isso: "por favor, não mencione a minha história".

Até lhe agradeci por ter dito isso. Vou atender seu pedido, obviamente. Mas já tratei de avisar que ela não era a primeira a me relatar aquelas coisas específicas e que, dependendo das circunstâncias, posso um dia falar da situação através da história de outras pessoas. É bem improvável, mas pode acontecer  um dia. Diante das incertezas do futuro, seguro morreu de velho...

Vida de YouTuber não é fácil. E vida que segue...

Vida Que Segue - Canada

Developer

Gratidão por sua visita! aqui você sempre será muito benvindo(a)!

1 comment:

  1. Olá.
    Encontrei por acaso seu canal hoje e confesso que é um dos melhores que assisti até o momento.
    Digo isso pela sua sinceridade e ponto de vista importante sobre o Canadá. Pontos estes que podem ser cruciais para alguém desistir da imigração ou ir com mais clareza do que pode encontrar.
    É um saco assistir vídeos daqueles youtubers famosos que estão ganhando dinheiro vendendo um Canadá paraíso.
    Discordo de alguns pontos de vista seu, sobretudo os que dizem respeito ao Brasil, mas sei que é sua opinião baseada na sua experiência pessoal, respeito.
    Continue exatamente como está!
    abrç

    ReplyDelete