As respostas estão na educação

by 6:16 AM 0 comments
Em primeiro lugar, me perdoem pelo sumiço de mais de um mês.

Muita coisa aconteceu... o estágio remunerado acabou e precisei voltar ao college para o último semestre (e confesso que não faço isso muito animado) e após passar quatro meses sem trazer nada para casa após encerrar o expediente os assignments voltaram.

Estudar na primavera e no verão em Ottawa não é algo muito estimulante, porque a estação convida a estar na rua curtindo a cidade e muita coisa acontece. Eu costumo realizar trabalhos voluntários em festivais, já na área de mídia, para adquirir experiência e networking e principalmente para praticar técnicas sem pressão.

E foi numa dessas ocasiões que vi algo que me deixou boquiaberto. Estava eu cobrindo como fotógrafo o Canadian Tulip Festival, o grande festival canadense de tulipas que toma conta de Ottawa a cada mês de maio. Aberdeen Pavillion do Lansdowne Park... nada muito estimulante. Mas havia um palquinho instalado do lado de fora do pavilhão com uma programação de jovens artistas.

No sábado houve três shows, e no domingo aconteceria apenas um. Hannah Elle. Nome de mulher, provavelmente mais uma jovem talentosa que como tantas cantaria algo como Ariana Grande, Selena Gomez ou alguma dessas meninas que vêm e vão...

Ela subiu ao palco bem quietinha e tímida, acompanhada de um homem com seus quarenta anos que foi para o piano... Cara de menina mesmo, não aparentava ter mais do que dezesseis anos. Depois soube que tinha dezoito. De cara percebi que era muito, muito, muito fotogênica. E saí clicando. Fiz a festa.



A jovem Hannah Elle pela minha lente. Para quem gosta de fotografar não há nada melhor do que descobrir os caminhos da fotogenia, ainda mais de forma cândida, espontânea... Como artistas no palco quase nunca posam, é sempre um grande desafio! OBS: ela é canadense, filha de pai egípcio e mãe canadense.

E aí ela começou a cantar. Vou deixar as imagens falarem por mim.


Sensação de choque. Essa menina... uma menina mesmo, provavelmente fazendo um de seus primeiros shows (era o primeiro como profissional)... cantando isso? Estava fazendo scat singing. Aparentemente improvisou. Brincou com a voz. Fraseado impecável. Não deixou a peteca cair quando o pianista quebrou o ritmo.

Ela cantou até Billie Holliday!

Eu via uma menina e ouvia uma profissional das boas. Ainda mais para quem é músico ou produtor, testemunhar esses momentos onde o talento bruto - evidenciado pela timidez misturada a um pouco de nervosismo, e por ainda não saber como preencher o palco relativamente grande onde estava, embora quisesse fazê-lo - salta à sua frente sempre resulta em puro êxtase. Mas de onde surgiu essa garota? Como ela foi parar ali?

Não foi a primeira vez que vi jovens bem talentosos se apresentando por aqui. Na verdade, o nível artístico geral é muito alto. Digamos que um artista de bar em Ottawa pode ter o mesmo nível de um profissional consagrado no Brasil. Mas como, cooomo, coooooomoooooo?

As respostas estão na educação e em alguns outros fatores sociais presentes na vida cotidiana do Canadá! Vamos lá:

- Hannah Elle estuda na Colonel By Secondary School, considerada a segunda melhor escola secundária da província, onde há um conhecido projeto de educação musical. E também um grupo vocal de meninas, as C-Flats... que até prêmio em Nova York já recebeu. O pianista que foi acompanhá-la é Greg Crossett, professor de música da escola que tem trabalhado com as C-Flats.

- Muitas escolas primárias e secundárias canadenses, em vez de padronizar seus currículos e transformar seus alunos em cavalos de corrida prontos para competir insanamente em testes de admissão para a universidade, detectam, valorizam e buscam desenvolver as potencialidades de cada indivíduo.

- Como a educação aqui é tratada de uma forma muuuuito séria, as comunidades e famílias integram-se às escolas. Os pais, portanto, acompanham muito de perto o desenvolvimento e os desafios encontrados por suas crianças e recebem apoio especializado sempre que necessário.

- A sociedade canadense é igualitária e tenta priorizar o bem-estar coletivo. Por isso, é mais difícil uma família desestimular um jovem talentoso a seguir uma carreira "que dá dinheiro" e abandonar seus talentos e sonhos (bom, se for em alguma pequena cidade do Québec ou de Saskatchewan as coisas sempre serão mais difíceis). Artes, ciência, esportes, computação... tudo isso é tratado como patrimônio da coletividade e estimulado da melhor forma possível.

Da mesma forma, as oportunidades estão abertas para os alunos que não desejam fazer essas atividades profissionalmente. Levarão consigo uma bagagem cultural importante e habilidades suficientes para surpreender alguém como eu que vem do Brasil... onde tudo é diferente.

O caminho das artes profissionais aqui, como em qualquer lugar, não é dos mais fáceis porque embora se pague bem por hora trabalha-se poucas horas por mês. Por isso muitos precisam dedicar-se ao ensino, trabalhar em igrejas ou fazer carreira acadêmica. Continua sendo um caminho difícil, mas a pessoa vai mais preparada e é mais amparada do que no Brasil.

Vendo tudo isso, penso que nasci mesmo no lugar errado. Passei minha juventude buscando o sonho da música e sabendo que tinha potencial... mas esbarrando em obstáculos. Para começar, meus pais me estimularam até certo ponto. Não queriam que eu fosse profissional porque "música não dá dinheiro". Não estavam preparados para isso e a escola onde eu estudei não me ofereceu nada para desenvolver minhas potencialidades lá dentro. Seu objetivo era passar o maior número de alunos possível no vestibular, fazer propaganda e receber novos alunos. Escola privada... afinal de contas é Brasil. Comércio de conhecimento. No Brasil só vejo esse estímulo dentro das igrejas evangélicas, onde se busca ser o melhor para cumprir adequadamente o objetivo maior de louvar e dignificar a Deus. Mas fora dos círculos religiosos, as coisas são muito muito muito mais difíceis no Brasil.

Que pena, pois talento e potencial não nos faltam. Estamos exportando excelência em corrupção e criminalidade.







Vida Que Segue - Canada

Developer

Gratidão por sua visita! aqui você sempre será muito benvindo(a)!

0 comments:

Post a Comment