Algumas considerações sobre Ottawa, para a Kitty no Canadá

by 7:27 AM 0 comments



A vlogger Kitty Avelino, do canal Kitty no Canadá, fez uma viagem pela costa leste do país em busca de uma nova cidade para morar. Aparentemente ela não gostou de Vancouver e resolveu explorar Toronto, Ottawa e Montréal. E, dentre todas essas cidades, acabou preferindo Ottawa.

Todavia, a descrição da cidade feita por ela em seu vídeo mistura impressões típicas de quem vem e passa poucos dias com clichês a respeito da cidade que podem estar desatualizados ou simplesmente não corresponderem à verdade. Por isso mesmo, segue aqui um relato feito por alguém que mora na cidade há 2 anos e meio e pode trazer uma visão um pouco diferente não só para a Kitty mas para qualquer um que deseje viver em Ottawa.

_________________________________________________________________________________


- Ottawa é uma cidade de área enorme porque houve uma amalgamação em 2001. Com isso, as pequenas cidades que ficavam ao redor da cidade - que tem até um enorme cinturão verde planejado - foram integradas a ela e transformaram-se em subúrbios e áreas rurais. E o que era uma pequena capital de 300 mil habitantes se transformou numa cidade grande com cerca de 1 milhão e repleta de contradições. Era a cidade com o maior walk score da América do Norte mas perdeu muitas posições em razão da integração dos subúrbios carro-dependentes. Particularmente, sempre fui contrário a essa amalgamação porque ela colocou o destino das pequenas comunidades nas mãos de pessoas que talvez nunca tenham ido até lá. E consequentemente impediu que cada uma delas adotasse soluções próprias, dependendo do poder central da City Hall de Ottawa. Essa é uma reclamação constante;

- Além disso, Ottawa é apenas parte da National Capital Region, salomonicamente dividida entre Ontario e Québec desde os tempos da Rainha Vitória da Inglaterra. A divisão prática entre Gatineau e Ottawa é inexistente e dá para ir a pé de uma cidade a outra. Vou da minha casa a várias partes de Gatineau muito mais depressa do que a muitas partes de Ottawa;

- A urbanização de Ottawa é bizarra. O centro antigo com cara de Inglaterra e Holanda é a melhor parte da cidade, mas os padrões estabelecidos ali não foram seguidos nas partes mais novas da cidade, que são totalmente influenciadas por um modelo norte-americano sem charme e sem alma;

- O transporte público de Ottawa é um assunto complexo e confuso. Ottawa está saindo de uma situação de dependência total do automóvel para uma situação onde o automóvel terá que dividir espaço e não será muito benvindo em certas áreas. Afinal, o centro da cidade é velho e não tem estrutura para tantos carros!
Há um Master Plan elaborado pela prefeitura para 2031, que pretende "build a livable Ottawa". E o objetivo é reduzir o percentual de viagens feitas de carro e aumentar o uso de transporte público, bem como as caminhadas e o uso de bicicleta.
Quanto aos ônibus, o que existe hoje é um sistema de BRT integrado com linhas que fazem as rotas estações - bairros. As rotas do BRT, chamadas de Transitway, são basicamente duas. Leste-oeste e norte-sul, ou seja, um T, e se encontram na atual estação Mackenzie King (situada no shopping Rideau Centre, perto do Parlamento). A Transitway foi desenvolvida principalmente para atender aos servidores do governo federal, mas quem mora perto dela, principalmente na área central, fica muito bem servido e consegue ir até a maioria da cidade com um ônibus só. Esses ônibus funcionam bem inclusive no inverno, porque a Transitway é prioridade absoluta para remoção de neve. Reclama-se muito da OC Transpo, mas quem faz isso precisa se lembrar que a maior culpa pelos problemas dos ônibus na cidade é da própria população. Muitas pessoas aqui estão mais preocupadas com seus carros e não fazem nada para reivindicar melhorias nos ônibus;

- O maior problema de Ottawa é o trânsito. Confuso, saturado, mal regulado e ainda por cima os motoristas são muito mal-educados;
- O segredo então para se viver bem em Ottawa com o transporte público é escolher bem onde você vai morar. Há algumas partes da cidade que são estratégicas e onde se vive muito bem sem carro. Você pode até fazer a maioria dos seus deslocamentos a pé - inclusive nos dias mais frios do inverno - se morar nessas regiões e tiver a sorte de trabalhar no centro. Infelizmente, muitas empresas de tecnologia estão situadas em Kanata, subúrbio situado a 25 km do centro. De qualquer forma, existe uma área na cidade que representa um verdadeiro oásis, porque as opções de transporte coletivo são fartas (com a Transitway do lado) e a facilidade para fazer coisas a pé é muito grande. Se você quiser saber qual é essa área, me pergunte! ;-) Fato é que eu vivo aqui há dois anos e meio, sem carro, e nunca me vi em uma situação em que lamentei não ter carro. Pelo contrário, gosto muito de caminhar pela cidade, ver pessoas e descobrir novos locais e novas perspectivas a cada quarteirão; - Ottawa já tem um LRT que funciona há alguns anos - o O-Train - mas hoje em dia ele vai do Nada para o Lugar Nenhum passando pela Carleton University. A celebrada expansão que será inaugurada no ano que vem e estendida em 2023 vai substituir a Transitway de hoje (ou seja, de BRT passaremos a LRT, com uma parte de subsolo no centro que representará nosso "pedacinho de metrô"). Mas as integrações com ônibus e a pouca frequência em áreas de menor densidade continuarão. E ah! Dos subúrbios, somente Orléans - o "subúrbio francófono" que não atrai muito os brasileiros - tem perspectivas de receber o O-Train e apenas em 2023; - Esse papo de que Ottawa é uma cidade parada e não tem muita vida noturna não procede. A cidade tem uma vida noturna bastante agitada e vibrante. Às vezes até demais! kkkkk! Só que tudo está localizado em pequenas regiões do centro... o Byward Market, o "baixo" Elgin Street, o "baixo" Somerset Street... Mas se você procurar há de tudo para todas as tribos: gays, lésbicas, hipsters, geeks, nerds, alternativos, headbangers, punks, motociclistas, hip-hoppers, fãs de música eletrônica, milionários ostentadores, fãs de música country, vegans, torcedores de hockey, estudantes sem muito dinheiro, fãs de artes mais refinadas... E Ottawa tem dezenas de festivais muito bons! A questão é que não existe muita divulgação nem muito hype em âmbito nacional e é preciso explorar um pouco a cidade até encontrar o que você procura. E sim, muitas vezes você encontrará as mesmas pessoas nos mesmos locais, sempre! Mas isso não é ruim: você terá a chance de fazer novos amigos! Mais uma vez, a culpa dessa caracterização de Ottawa como "a cidade que a diversão esqueceu" é dos próprios moradores da cidade. Mas pergunte a eles se querem fazer de Ottawa uma nova Montréal ou Toronto... E ah! Os subúrbios definitivamente não têm boas opções de cultura e diversão (exceto Orléans, que possui o Shenkman Centre);

- Os subúrbios de Kanata e Barrhaven são muito populares entre os brasileiros por diversas razões: tranquilidade, imóveis grandes e mais baratos, boa estrutura para famílias. Mas tudo que se encontra nesses subúrbios pode ser encontrado em outras partes da cidade da mesma forma e com os mesmos preços. Convém explorar bem para definir qual é o melhor lugar para você, a partir da sua própria perspectiva e não das opiniões de outras pessoas; - Muitas vezes as pessoas venderão a imagem de Ottawa como uma boa cidade para famílias. Sim, é! Mas é também uma boa cidade para jovens, estudantes, solteiros, pessoas idosas, casais sem filhos, malucos de todo tipo de vida alternativa e extraterrestres; - O mercado de trabalho em Ottawa tem suas peculiaridades e dificuldades e embora algumas pessoas consigam emprego com facilidade por aqui, não será fácil para todos. Não há tantas vagas como em Montréal ou Toronto e a competição com canadenses nativos que dominam os dois idiomas - francês é muito importante no mercado de trabalho daqui, inclusive para empregos de entrada! - e têm experiência local é acirrada.

Vida Que Segue - Canada

Developer

Gratidão por sua visita! aqui você sempre será muito benvindo(a)!

0 comments:

Post a Comment